Estudo sobre a escuta da voz das mães em crianças e jovens

🤰 As regiões do #cérebro que respondem mais fortemente à voz da mãe se estendem além das áreas auditivas, incluindo áreas envolvidas no processamento de emoção, recompensa, cognição social, detecção do que é pessoalmente relevante e reconhecimento facial.

😳 Não se sabia que a voz de uma #mãe teria acesso tão rápido a tantos sistemas cerebrais diferentes.

🤓 Um estudo publicado na #PNAS examinou 24 crianças com idades entre 7 e 12 anos. Um primeiro dado que deixou os pesquisadores impressionados foi que as #crianças foram capazes de identificar o som da voz da própria mãe muito rapidamente – e acertaram quase todas as vezes. Com estímulos auditivos de menos de 1 segundo, elas já identificavam a mãe biológica dizendo as palavras sem sentido. Apesar dessa velocidade, o índice de acerto foi de incríveis 97%.

👉 As regiões do cérebro que eram mais envolvidas pelas vozes das próprias mães das crianças do que pelas vozes de controle incluíam regiões auditivas, em comparação com a voz de outras mulheres, a voz da mãe gerou maior ativação de regiões auditórias primárias como o sulco temporal superior, especializada no processamento da voz, a #amígdala, crucial para o processamento do afeto, o núcleo #accumbens e o #córtex orbitofrontal associado à circuitaria de recompensa, a ínsula anterior e o cingulado da rede de saliência e uma parte do giro fusiforme que é associado com a percepção de faces.

🙌 Este é um novo modelo importante para investigar déficits de #comunicação social em crianças com transtornos como o #autismo.

Curiosamente esse familiarização com a voz da mãe ocorre ainda no útero, pois quando compararam uma gravação simulando a voz da mãe no ambiente intrauterino e a voz normal, os #bebês preferiram a primeira.

👶 É emocionante ver que o eco da voz da mãe vive em tantos sistemas cerebrais.

Estudo: Neural circuits underlying mother’s voice perception predict social communication abilities in children. Publicado na PNAS, 2016.

#diadasmaes

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.