Marketing de Permissão

Você já ouviu falar em Marketing de Permissão?

 

Esse conceito ganhou força em uma época em que o público era muito bombardeado por propagandas.

 

Lembra do telemarketing sendo inconveniente, depois vieram os spams em emails? Enfim, as pessoas tinham contato com #anúncios intrusivos e, na maioria das vezes, irrelevantes.

 

O #MarketingDePermissão tem um nome bem autoexplicativo, mas, mesmo assim, podemos defini-lo como um conjunto de ações de #comunicação e #marketing direcionadas a um público-alvo somente com a sua autorização. 

 

O objetivo é conquistar o consentimento dos #consumidores para, então, enviar mensagens e estabelecer uma relação mais próxima com eles.

 

Esse modelo de marketing surgiu em 1999 em um livro chamado “Permission marketing: turning strangers into friends, and friends into customer” (Marketing de Permissão: transformando estranhos em amigos, e amigos em clientes), escrito por um dos maiores nomes do marketing: #SethGodin.

 

O marketing de permissão funciona em meios de uso pessoal, como o SMS, e-mail, #chats inbox nas redes sociais, #aplicativos de mensagens e ligações telefônicas.

 

Enfim, são canais nos quais os consumidores podem escolher se querem interagir ou não com uma #marca.

 

O funcionamento do marketing de permissão não tem muito mistério. Normalmente, ele segue os 4 passos que abordaremos nas próximas linhas:

 

1. Invista em #conteúdo para atrair e despertar o interesse no público

 

2. Disponibilize formulários para o Opt-in (é a autorização que o #cliente dá para receber conteúdo da sua empresa.)

 

3. Deixe que o público personalize a forma de contato com você (você pode pedir para o público escolher a frequência de envios, os horários de recebimento das mensagens e os temas abordados.)

 

4. Ofereça um meio para o Opt-out (por Lei, todas as listas de e-mail marketing e #SMS devem oferecer um caminho claro de #OptOut para os usuários.)

 

Fonte: Rock Content

 

#neuromarketing #inboundmarketing #publicidade #marketingdeconteudo

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.